28 / 06 / 16
Falha na comunicação resulta em vacinação incompleta contra o HPV

Expectativas irreais ou a falta de comunicação podem ser os principais motivos para muitas adolescentes não receberem todas as doses da vacina contra o papilomavírus humano (HPV). Este é o resultado de um estudo americano publicado na “Human Vaccines & Therapeutics”. Evidentemente, pais e médicos têm expectativas incorretas sobre em quem recai a responsabilidade pelo agendamento do acompanhamento necessário.

O foco do estudo foi investigar porque muitas crianças recebem pelo menos uma dose da vacina, mas não recebem as três doses. Pesquisadores da Universidade de Boston (Massachusetts) entrevistaram 65 pais cujas filhas haviam recebido pelo menos uma dose do esquema vacinal contra HPV e 27 médicos que realizam as vacinações.

Trinta e sete filhas de pais que haviam sido entrevistados não concluíram o esquema vacinal contra HPV. Sessenta e cinco por cento dos pais disseram que esperavam que a clínica ou o médico entrasse em contato com eles para agendar as próximas doses. Vinte e quatro por cento disseram que inconveniências, como longos trajetos, foram os principais motivos para não concluir o esquema vacinal. Apenas quatro pais tomaram, conscientemente, a decisão de não concluir a série.

Cinquenta e dois por cento dos provedores disseram que, em geral, eles informavam aos pais sobre a data das próximas doses, mas deixavam a cargo dos pais agendar as visitas de acompanhamento. Quarenta e um por cento dos clínicos planejam agendar a próxima visita quando a primeira dose for administrada e sete por cento esperam administrar a próxima dose quando os pais voltarem para um agendamento subsequente.

Da perspectiva dos provedores, a falta de um sistema de alerta para lembrar sobre a vacina é o principal motivo de não concluir o esquema vacinal. Nenhum dos médicos considerou a necessidade de três doses como sendo uma barreira para a realização do esquema vacinal. Entre os pais, dois terços acreditam que o benefício da vacina supera seus riscos.

“Aprendemos que existe uma grande oportunidade para fechar a lacuna de não conclusão, melhorando a orientação e o diálogo entre provedores e pais sobre o agendamento de futuras visitas para concluir o esquema vacinal de três doses”, disse a autora do estudo Rebecca Perkins. A implementação de um sistema de alerta poderia ajudar a concluir a série vacinal.

Referências:

Human Vaccines & Immunotherapeutics (abstract)

Fechado para Comentários.

Alameda Olga, 422, cj 42 - Barra Funda - São Paulo-SP - CEP 01155-040
Tel./Fax: +55 11 30882971 - sogiabr95@gmail.com